A Odisséia de uma Habilitação de motorista perdida.

Desligada e apressada que sou, precisei estar sem minha identidade e ser solicitada a apresentar um documento para notar que minha carteira de motorista havia partido dessa para outra melhor, ou pior.
Minha amada carteira de motorista, categoria AB, moto e carro…
Entrei em pânico controlado. Aquele que você não sai gritando de fúria ou de medo. Aquele que você não mija nas calças. Aquele que dá vontade de comer doce. Aquele que dá vontade de entrar no Detran e chamar todos de corrputos babacas, mas você não faz, só pensa.
Passados os 5 minutos de pânico controlado, entrei no brain storm silencioso, onde todos os meus exaustos neurônios discutiam para tentar ter uma leve e amarga lembrança de onde eu poderia tê-la deixado. No início, estava tudo muito amigável, perguntavam-se e respondiam-se serenamente, pensavam e nada… Dados mais 5 minutos começou a porradaria: “Quem estava dormindo no plantão? foi você não foi, Valdislene? Desatenta do jeito que é só pode!”
Beleza. Não faço a microscópica idéia de onde enfiei minha habilitação. Nem ao menos lembro o nosso último encontro. Meus olhos de lápis de olho e olheiras naquele cartãozinho verde. Se foram…
Então… Vamos procurar? Em estado de pânico controlado novamente fui catar a diaba.
Sempre peço para o meu príncipe encantado sair do esconderijo. Mas ok, abro mão! “-Carteira de motorista, acabou a brincadeira, saia do esconderijo! Prefiro ficar solteirona do que ficar sem dirigir.”
Me sacanearam dizendo que era exagero. Juro, juro, juro que não é. Eu sem moto é como ipanema sem sol, sashimi sem shoyo, Claudinho sem Buchecha.
Revirei a casa inteira sem êxito.
Comecei a apelar. O primeiro da lista foi São Longuinho.
Página 1: São Longuinho São Longuinho se você achar minha Habilitação dou 3 pulinhos.
Página 2: Dou 10 pulinhos!
Página 3: Dou 20 pulinhos.
Página 4: Dou trocentos pulinhos.
Pág 5: Dou a porra toda, São Longuinho, acha minha habilitação, por favor!
Na página 10 entrei com psicologia reversa: Dou nada pra você! Nada, ouviu? Dei tudo de mim nesses pulos e você aí de braços cruzados?! São Longuinho, seu pidão de pulos desgraçado, acha essa merda de habilitação!

São Longuinho não deu jeito. Sabe que faço parte do movimento feminista e se recusou.

Resumo do dia: Ainda não sei onde se encontra a dita cuja.
Análise Astrológica: Saturno me dando mais trabalho na casa 6 começando a enquadrar meu mercúrio e impedindo meu ir e vir. Massss! Ele não contava com meu Blackberry e meu acesso à Lei Seca e a qualquer blitz que esteja ocorrendo. Sifu, Saturno, vou continuar andando de moto.

Agora me encontro em estado relaxado e levemente chateado de ter que enfrentar o Detran. Sobreviverei.

0