Louva-Deus

Dá pra te pegar no colo e fazer cafuné?
Enxuga estas lágrimas não foste feito pra ser triste
Nem para estar
Enxuga porque a vida é curta, seu coração é grande
Há muito ainda pra caminhar
Pra perdoar
Pra amadurecer
Perdoe-te
Não espere que alguém o faça
Perdoe a ti mesmo
Perdoe a mim pelos meus 50% de culpa das tuas lágrimas
Banco as minhas
Não banco as tuas
Parecem farpas picando meu coração
As ouço com tremor, palpitação e dor
Creia. Muita dor.
Perdoe
Não foste feito de ferro
Não foste feito de tristeza
Ninguém tira o brilho conquistado por uma vida com um erro
Será que é erro?
Será que um dia sentaremos no Arpoador e riremos disso?
Ou será que o que está por vir acabará nossa amizade ainda jovem?
Já disse, mas vou repetir caso duvide
Sou tua amiga
Não chore
Não duvide da sua honra
As pessoas criam os próprios sofrimentos
Não se torture
Encha seu peito de ar com a doçura que te foi concedida e deixe que ela acalme seus pulmões
Respire…
Sossega tua alma
Peça a proteção dos teus
Pedi dos meus e aqui estou mais uma vez dando a cara a tapa ao te escrever
Quero que seja feliz
Com migo sem migo
Quero que seja feliz
Durma pois, em breve, acordaremos com pássaros cantando em nossa janela
O monstro que nos amedronta agora se tornará um louva-deus que estava a se debater atrás da cortina
Estava escuro
Não conseguíamos ver
Mas a luz acendeu
Estamos a gargalhar do nosso medo
Fica bem
Nada pode ser suficientemente feio pra te deixar assim
Fica bem

1

Comentários