Toque Astrológico de hoje: "O que admiro"

Adoro ser criticômica, criticar sendo cômica. Adoro inventar palavras também. Hoje, pra variar, falarei um pouco das características que admiro em cada signo.
Os arianos me fascinam pela sua motivação e energia para lutarem pelo que querem. Me passam a sensação de que nada é impossível.
Os taurinos me encantam pela doçura e confiabilidade. Eles fazem eu me sentir segura de uma forma muito amorosa.
Os geminianos me causam inveja pelo desapego e mobilidade. Parece que não estão presos a nada e por isso podem experimentar a vida bem mais do que eu.
Os cancerianos me emocionam pela forma que batalham para manter a família e seus costumes vivos. Como podem te levar para perto deles e te manter junto sempre. Eles não têm medo da intimidade.
Os leoninos tão fortes me geram adoração por terem sempre aquela postura de inatingíveis ao mesmo tempo que são calorosos e leais aos que amam.
Os Virginianos me deixam impressionada com a praticidade e a forma simples que organizam seu dia. Sua capacidade de servir e ter humildade me fazem sentir um ser muito orgulhoso e pequeno.
Os librianos me ensinam que é possível aturar os outros. É possível conversar e chegar a um acordo. É possível abrir mão.
Os Escorpiões, tão criticados, me dão uma lição de regeneração. Me mostram como são fortes nas dificuldades e como podem mais quando acham que não podem mais.
Os sagitarianos me fazem rir! São engraçados até quando estão sérios. Seu jeito espontâneo me deixa à vontade para ser como sou.
Os capricornianos pra mim são uma mistura de perseverança, praticidade e determinação. Eles jogam seus desejos lá no alto e têm uma baita paciência para buscá-los.
Os aquarianos me fazem apaixonar pela inteligência, pela habilidade de rodar o mundo e o universo sem sair do lugar. Bem como os sagitarianos me deixam ser quem sou. Acham graça e admiram excentricidades.
Os piscianos são de uma esfera outra que não a terra. Neles admiro a comunicação não verbal. Eles sentem, intuem, captam. Não é necessário explicar porque.

0

Comentários