Bento
Eu te amo desde o dia em que fiz xixi no potinho e não acreditei que você estaria ali, dentro de mim. Você já vinha me fazendo comer feito ogra e reparei que meus 55kg estavam dando linha. Primeira semana 57,5kg. Pensei comigo “É o maldito do chocolate branco…”. Parei o chocolate branco. Semana seguinte: 58,4kg. Mamãe nesse momento pensou: “Fudeu. Vou fazer o teste do xixi.” Na tarde do dia 25/11/2011, após ter tomado esporro da médica que me acompanhava pra ir às Olimpíadas (É. Mamy queria ir às Olimpíadas), comprei o maldito teste da farmácia e me pus a urinar naquele potinho infame que pode mudar uma vida. Ou várias. Coloquei o raio do papelzinho lá. Este nem esperou eu me preparar psicologicamente e, em 15 segundos e não 5 minutos como diz na bula, deu positivo. Não acreditei. Ri. Então esperei os 5 minutos para ver se uma das listras que significam positivo desapareceria, para enfim sair do estado de apnéia o qual me encontrava. Nada desapareceu. Caminhei loucamente pelo corredor e fui me certificar do que eu tinha feito de errado. Claro que eu tinha feito algo errado! Durrr! Grávida? Durrrr! Estava escrito lá: “primeira urina da manhã”. Fernanda, sua anta, não é a primeira urina pós almoço! Fiz errado.
Resolvi então uma limpeza de mente mais agressiva: exame de sangue. Afinal eu só queria tirar a neurose de que etaria grávida. Eu sou filha de Deus e ele não faria isso comigo agora.
No dia 28/11, me encaminhei ao laboratório e colhi sangue fazendo altas piadinhas com a enfermeira. Claro que eu não estava grávida. Durrr! Grávida? Durrr! À noite, peguei minha panela de macarrão com carne moída e me sentei, ainda fedida do treino, na frente do computador para ver o resultado. BHCG: 5877. Veja bem, vou morrer e não esquecerei desse número: 5877. Apesar do número, mamãe não sabia que isso significava positivo, pois esse hormônio só se encontra presente em grávidas. Fui olhar os parâmetros e parecia uma abobada tentanto dizer pra mim mesma que estava “sugerindo” positivo. Liguei pro médico e disse que eu precisaria de um outro pedido pois esse estava errado. Sou muito engraçada mesmo… Quando ele soube que eu já tinha feito o de urina e tinha dado positivo, o médico otimista me deu parabéns. Foi aí que comecei a chorar aquele choro silencioso de pânico, do tipo “vou morrer”, sabe? É, eu achei que ia morrer. O fato é que morri, pois saber da sua existência me fez morrer lagarta e nascer borboleta. Porém, naquele momento, eu ainda não sabia que, mesmo com aquele sofrimento da transformação, eu me tornaria algo muito melhor e que agora estaria aqui declarando meu amor por você. Passei umas duas semanas chorando. Diarréia, ênjôo, falta de apetite, falta de ar. Medo. Muito medo! Será que eu daria conta de você? Será que você se orgulharia de mim? Será que me amaria? Nossa que medo!

4