Lilith: a primeira feminista da história

.

Ao ler o título você vai pensar: “Lá vem essa mala dessa menina falar de feminismo e detonar alguns palavrões à respeito da sociedade machista.”

Você não está enganado.
A sociedade é machista e filha da puta com as mulheres. Olha eu sendo machista: filha da puta. Tenho que começar a refletir sobre meus palavrões… Não posso considerar, diante do meu posicionamento, que ser “filha de uma puta”, seja lá quem for essa puta, da lapa, da Centauro, da Vila Mimosa, da esquina da sua casa, seja algo depreciativo. “Puta” foi um adjetivo criado para iniciar a perseguição a nós mulheres. Pois este mesmo não é apenas utilizado para identificar as mulheres que cobram por sexo. Identifica mulheres que fazem sexo num primeiro encontro. Mulheres que fazem sexo num segundo encontro. Mulheres que fazem sexo num sexagésimo encontro. Mulheres que fazem sexo antes do casamento. Mulheres que fazem sexo. Mulheres que falam de sexo. Mulheres que gostam de sexo. Mulheres que usam decotes. Mulheres que usam mini-saias. Mulheres!
Além disso, se a puta quis ter um filho, o que você ou eu temos com isso? Nada. A não ser que você seja psicólogo e esteja preocupado como a criança entenderá a profissão da mãe no futuro.
Mudando então de xingamento: Sociedade Machista filha de um broxa!

Continuando…

Li hoje na Wikipédia os mitos sobre Lilith, referida na Cabala como a primeira mulher de Adão, ACUSADA de levar Eva a comer o fruto proibido. Retirada da Bíblia durante o Concílio de Trento, obviamente a interesse da Igreja Católica grande responsável por diversas e injustas perseguições, para reforçar o papel das mulheres como devendo ser submissas, e não iguais, ao homem.
Jé-sus! Ao ler essa sentença me arrepio que nem cachorro quando se prepara para atacar outro. Com a diferença de que não posso atacar ninguém e o que me resta é escrever e encher os seus ouvidos, caro leitor.

Pinturas e esculturas mostram que na verdade a serpente tentou Eva a comer o pomo do conhecimento. Co-nhe-ci-men-to, e não Pe-ca-do. Pode-se notar, não é necessário ter muita massa cinzenta, que uma das táticas da sociedade patriarcal é nos manter burras. Burras no sentido de nos afastarmos dos nossos ritmos mais íntimos. De não acreditarmos na nossa própria intuição. De não seguirmos nossos desejos.

“No primeiro capítulo do Gênesis versículo 27 está escrito que: “Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher.” porém no segundo capítulo versículo 18: “O Senhor Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só; vou dar-lhe uma ajuda que lhe seja adequada.” e é apenas no versículo 22 do segundo capítulo que Eva é criada: “E da costela que tinha tomado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher, e levou-a para junto do homem.”. É possível que no primeiro capítulo a mulher criada seja Lilith.”

Ou seja, não fomos criadas da costela de um macho coisa alguma! Temos cérebro, temos coração! Como poderia vir de uma costela testosterônica, diz? Por acaso temos cara de molho barbecue pra acompanhar uma costela?
Agora, volte e leia atentamente o versículo 18. Sabe como me sinto? Um bicho de estimação que Deus criou para fazer companhia a Adão. Um tamagochi que o broxinha tinha preguiça de alimentar.(Gargalhadas)

“No folclore popular hebreu medieval, ela é tida como a primeira mulher criada por Deus junto com Adão, que o abandonou, partindo do Jardim do Éden por causa de uma disputa sobre igualdade dos sexos, passando depois a ser descrita como um demônio.”

Olha que filha da broxisse, ela começa a exigir igualdade e logo vira demônio. Já imagino uma assembléia cheia de machos barbudos bafentos com seus paus amassados e oprimidos dentro de suas calças, enrugados e com pentelhos brancos, discutindo o futuro da rebelde:
“-Ela quer igualdade, vamos logo cortar seu clitóris e chamá-la de demônio. ”
Simples e podre assim.

Seguindo a wikipédia…
“De acordo com a interpretação da criação humana no Gênesis (…), Lilith foi criada por Deus com a mesma matéria prima de Adão, porém ela recusava-se a “ficar sempre por baixo durante as suas relações sexuais”. Na modernidade, isso levou a popularização da noção de que Lilith foi a primeira mulher a rebelar-se contra o sistema patriarcal e a primeira feminista.”

Ok. Lilith exagerou não querendo ficar por baixo da relação sexual. Mas veja bem, lá está escrito sempre por baixo. Seeeempre por baixo nenhuma mulher aguenta. Compreendo que Adão era marinheiro de primeira viagem e naquela época nem existia o Kama Sutra pra dar uma apimentada na relação, mas seeeempre embaixo não dá! Lilith, estou contigo. A favor de um bom sexo e de uma relação de igualdade, você mandou Adão pastar. Lilith, a primeira feminista da história. Braba! Foi lá e disse: “-Papai e mamãe de novo, Adão? Pohammmm… Vamos fazer um 67 patinete, vamos?”

“Segundo o manuscrito milenar, Ben Sira conta a história de Lilith para Nabucodonosor:

Depois que Deus criou Adão, que estava sozinho, Ele disse: ‘Não é bom que o homem esteja só “(Gênesis 2:18). Ele então criou a mulher para Adão, da terra, como Ele havia criado o próprio Adão, e chamou-a de Lilith. Adão e Lilith imediatamente começaram a brigar. Lilith disse: “Por que devo deitar-me embaixo de ti? Por que devo abrir-me sob teu corpo? Por que ser dominada por ti?” Contudo, eu também fui feita de pó e por isso sou tua igual.” Quando reclamou de sua condição a Deus, ele retrucou: “Eu não vou me deitar abaixo de você, apenas por cima. Pois você está apta apenas para estar na posição inferior, enquanto eu sou um ser superior.” Lilith respondeu: “Nós somos iguais um ao outro, considerando que ambos fomos criados a partir da terra”. Mas eles não deram ouvidos um ao outro. Quando Lilith percebeu isso, ela pronunciou o Nome Inefável e voou para o ar. Adão permaneceu em oração diante do seu Criador: “Soberano do universo! A mulher que você me deu fugiu!”. Ao mesmo tempo, o Senhor, bendito seja Ele, enviou três anjos para trazê-la de volta.

Os três anjos foram insistiram que ela voltasse e ameaçaram afogá-la, porém ela se recusou a voltar, sendo assim condenada por Deus a perder cem filhos por dia. Desde então, para proteger os recém-nascidos da influência de Lilith, seria necessário colocar amuletos com o nome dos 3 anjos, lembrando-a de sua promessa.”

Pára tudo! Lilith condenada porque não quis aturar Adão, o primeiro machista da história. Ruim de cama, vingativo e chorão. Lilith, minha filha, não é mole ser mulher, sabemos bem…
Se eu tivesse por lá na hora que Adão disse a Deus que a mulher que ele havia dado tinha fugido, ia soltar uma gargalhada Lilithiana e ainda mandar um “Chupa que é de uva, Adão!”
E mais, que tipo de anjos são esses que ameaçam afogar uma dama??? Isso é tudo demônio, cupádi! Sai desse corpo! Sai!

“Eva teria então sido criada a partir de Adão. Como outra interpretação diz que ela(lilith) juntou-se aos anjos caídos quando se casou com Samael, que tentou Eva, ao passo que Lilith tentou a Adão. Os fazendo cometer adultério. Desde então, o homem foi expulso do paraíso e Lilith tentaria destruir a humanidade, filhos do adultério de Adão com Eva, pois mesmo abandonando seu marido ela não aceitava sua segunda mulher. Ela então passou a perseguir os homens, principalmente os adúlteros, crianças e recém casados para se vingar. Outras histórias referem-se a ela como surgida das trevas ou como um demônio do mar e não como igual ao homem.”

Em resumo, Lilith virou demônio e Eva ficou com o abacaxi. É por causa de mulheres como Eva que a sociedade continua machista… Eles se casam com as boazinhas, submissas, que não dão muito trabalho. Lilith daria muito trabalho! Pra começar questionaria tudo. Por quê? Por quê? Por quê? Uma mala. Pra terminar gostava de sexo. Vê-se logo.
Por que Lilith perseguiria as crianças? Essa história está muito mal contada…
Quanto a perseguir Adão dou a maior força. Mulher é tudo bicho ruim, nos vingamos mesmo! Não levamos pra casa. Tenho uma teoria que mulher saudável é mulher vingativa.
“Infere-se pelos textos e por amuletos medievais que ela era uma superstição comum entre os camponeses. Deixar esculturas dos 3 anjos que a perseguiram para fora do Éden, protegeria os bebês recém-nascidos (uma proteção necessária por 8 dias para homens e 20 dias para mulheres) e impediria que seus maridos fossem seduzidos por Lilith a cometer adultério.”

Aham… Impede sim… Vai acreditando…
Continuo brava com essa história de meter as crianças no meio. Fatalmente, foi criado como argumento forte para odiarmos Lilith, não só a da Bíblia como também a que existe dentro de todos nós, incluo os homens.

Igreja Católica, Bíblia, mitos. Todos sujeitos à interpretação do homem. Lilith pra mim é o feminino selvagem. Aquele que entra em contato com seus desejos reais e humanos. Aquele que sabe onde fica seu lar e o que precisa pra chegar nele. Em todos os mitos que li, ela é caracterizada como um demônio. Entendo que esses demônios sejam os nossos desejos, muitas vezes ocultos para não despertarem repressão. A sociedade cria uma ordem. Essa ordem se resmue a duas caixinhas: certo e errado. Organizamos nossos desejos nelas. Os desejos “errados” se tornam ocultos. Os desejos ocultos passam a ser negados. Nossa negação nos distancia do que desejamos. E essa distância impede que um dia possamos ser o que sempre o que realmente somos.

4

Comentários

  1. Cris Lustosa disse:

    “-Papai e mamãe de novo, Adão? Pohammmm… adorei o texto!!!! tem muitas questoes envolvidas alem do mito nessa dominação masculina aí, mas realmente eh um vacilo enorme sacanear lilith…

  2. NIK disse:

    Tudo muito bom, mas ” filho de um broxa” é. Genial!!!!!!