Pagar de louca

Hoje, eu quero pagar de louca. Vou sair com um pé de cada sapato e vou aí rasgar sua roupa. Não me peça raciocínio lógico, porque maluco que é maluco mesmo não tem essa história. Eu vou aí te arrancar uns beijos, na violência mesmo. Será um abate, meu caro. Beijo na boca, várias encoxadas e muita baba na sua orelha. Vou gargalhar bem alto, feito bruxa. Só porque tô afim de pagar de louca. Pois entre uma gargalhada e outra observo milimetricamente sua boca. A estudo. Gargalho e pauso alguns segundos. Aqueles segundos pausados bem psicóticos, sabe? Arregalo os olhos e depois gargalho novamente. Em seguida, enfio minha língua a força na sua boca. Varro o seu céu. Sinto seus molares esquerdos. Arranco-lhe a bermuda! Depois de todo massacre acontecer, amarro-te ao pé do meu coração de cueca e mais nada.

0