20130924-132005.jpg

Avanço Culinário – Leite de Cereais

Nada de incentivo ao desmame, apenas uma receita que pode auxiliar nesse processo que envolve muitas questões além de “parar de dar o peito”.

É uma reconstrução da maneira de se relacionar e se amar. Não posso dizer como é, pois ainda não passei por isso. Vou adiando, adiando… Até achar a hora. Ou até o Bento achar antes de mim – o que prefiro.

Na minha primeira consulta com a Mariana Belém, nutricionista, no pós parto, ela me deu um livro da Sônia Hirsch “mamãe, eu quero”. Deixei lá no canto. Um tempo depois, eu tirava umas dúvidas com ela no telefone e ela me disse que queria me dar um livro, mas não estava achando. Mari, nutricionista e sequelada. “Tá comigo, ô maluca!” Disse para eu fazer o leite de cereais que está no livro e é esse que vou passar a receita.

Tem umas frases magníficas no livro da Sônia falando do leite materno que eu gostaria de compartilhar:

“Antes de mais nada: leite, só de mãe.”

“Leite é sangue que deixa de correr pelo umbigo e sai pelo bico do seio.”

“Não está pronto pra ir à luta, tem que ser cuidado, e sobretudo tem muito direito ao que é seu: como diz minha mãe, aquele leite ali do peito o bebê trouxe com ele. É dele, não lhe pode ser negado.”

No mesmo segmento ela fala da não necessidade do leite de vaca na nossa dieta e enumera alimentos ricos em cálcio colocando, inclusive, suas quantidades.

O leite de grãos integrais leva:

-4 colheres de arroz integral
-2 colheres de aveia
- 1/2 colher de trigo ou cevada
- 1/2 colher de feijão azuki ou cevada
- 4 partes d’água para 1 de sólido

Cozinhar em fogo baixo por 3horas (tempo a vera) com a panela tampada. Usar de preferência uma panela de ferro grossa para soltar partículas de ferro no leite.

Peneire e use os grãos para fazer pão, sopa ou bolinhos. A papa líquida é o leite.

Ela sugere substituir uma mamada do dia por mês. Por exemplo, a criança mama 4 vezes ao dia. No primeiro mês, substitui uma, no segundo outra e por aí vai. Pode misturar o leite pedaços de legumes e dar na colher.

Na real, minha ideia de fazer esse leite era mais para dar uma fortalecida na alimentação do Bento sem ter que dar leite de vaca. Não pretendo desmamar ainda.

Agora que dei as informações sobre como deve ser feito o leite, vou dizer o que fiz.

Pra começar, fui na Casa Pedro sem papelzinho algum detalhando o que eu tinha que comprar. Primeira cagada.

Comprei trigo, cevada e feijão azuki, ignorando os “ou” que apareciam na receita. Comprei arroz integral, aveia e soja. Onde estava escrito soja? Ok.

Sem problemas. Chegando em casa fiz as medidas e deixei no forno. A primeira coisa que aconteceu, foi secar a água. A segunda foi transbordar e afogar a boca do fogão. A terceira foi eu dormir e esquecer a panela no fogo tostando os grãos. Fiz a mesma coisa 2 vezes. Na segunda, ainda salvei um pouco do creme e misturei na comida do Bento.

Não é pra desanimar não, mas isso não é uma receita digna de uma mãe solteira insone. Ou olha a criança ou a panela. Ou lembra de escovar os dentes ou lembra da panela no fogão. Too much. Too much.

Quem conseguir fazer ganha um prêmio. E por favor, me digam se ficou bom.

Até a próxima furada culinária!

2