bento colonia de ferias 1 a5 m

Bento e seu primeiro passo no mundo (dele)

Bento está na colônia de férias. E antes que você me chame de doida desvairada – o que sou com muito prazer – é uma colônia própria pra idade dele, desenvolvida pelo Ateliê – Espaço de Desenvolvimento Infantil. Ele fica 2 horas por 3 vezes na semana. Horário mais apropriado pra idade dele.

O Ateliê fica numa pequena sala num prédio comercial no Jardim Botânico e, toda vez que vou lá, fico encantada com a quantidade de coisas que conseguem desenvolver lá dentro.

Eu sei que estou fazendo propaganda, maaas se levo meu filho lá é porque realmente gostei. Não aceitaria parceria mequetrefe, muito menos colocando meu filho em jogo. Já contei aqui do meu dilema com creche e, mesmo a mais bacana que achei, me dava uma impressão não muito acolhedora. Além de achar 4 horas com auxiliares cantando e mudando de espaço a cada 30 minutos para criança não entediar uma loucura.

Até porque o tédio é a semente da criatividade.

Uma das donas do Ateliê, a Natália Berger, foi minha amiga de faculdade e se especializou em psicomotricidade. Sua sócia e sua mãe, Mônica Madasi, é psicóloga e psicomotricista. E minha paixão secreta, pois tem uma doçura e uma serenidade com as crianças que dá vontade de levar ela pra casa – Mônica, não se assuste, controlarei meus sentimentos. Temos ainda uma professora de música, uma contadora de histórias e uma auxiliar, estagiária de psicologia.

Cara, minha sensação é de que Bento faz parte. Me dá tranquilidade.

A Nat já era leitora do blog e compartilhávamos muitas ideias em comum. Já vínhamos pensando numa parceria até que surgiu a possibilidade da colônia de férias.

No primeiro dia, levei Bento e entrei com ele. Sério, lembra da porta dos desesperados do Sérgio Malandro? Era tipo o Bento voando nos brinquedos: discos, bolas coloridas, almofadas. Tudo que ia a favor do seu toc de ver tudo girando. Ele nem sabia o que pegar. Sentei-me feito um fantasma na sala. BENTO CAGOU BALDES PARA MIM. E?  E logo notei que isso era um bom sinal. Saí da sala.

Minha terapeuta disse que bebês seguros de serem amados são assim, não sentem medo. Gostei.

Segundo dia. Entrou, ficou e voltou todo pintado de tintas coloridas. Com um sorriso de satisfação que me deu a certeza de que ele ficaria o mês todo (a colônia de férias é por adesão semanal).

Terceiro dia, larguei o moleque lá e fui treinar. Depois o busquei naquela alegria. Sorriso de canto a canto.

Tive que dar uma reorganizada nos meus horários para incluir sua colônia (levar, buscar…) e admito que, na primeira semana, pensei que não conseguiria leva-lo na segunda. Me deu aquele “pô, moh trabalheira…” Mas meu pensamento foi embarrerado pela sua felicidade ao sair – e chegar, obviamente - de lá.

Bento está amando. Fato. E eu, que me sentia rainha de sua vida, magnânima, comecei a questionar: Será a hora de começar a dar mais asas pra ele? Será a hora de introduzi-lo em meios que não faço parte? Acho que sim. Acho que o Ateliê veio em boa hora. Acho que veio pra ficar em nossas vidas como uma boa opção para quem não deseja colocar o filho em creche – como eu.

Fico por aqui. Em breve, conto a saga de Bento na colônia de férias.

Férias da mãe dele e do seu mundo alucinado, posto que ainda não frequenta escola ou creche.

 

 

PS1: a colônia de férias é por adesão semanal. Bacana.

PS2: O amigo da foto grita Bento quando o cremoso chega rsrsrsrsrs.

 

—————————————————————————————

Deixo aqui o contato do Ateliê e algumas informações sobre suas atividades:

Atividades:

psicomotricidade, musicalização, contação de histórias, experiências sensoriais, artes, shantala, encontro mãe/bebê

Contato:

Ateliê – Espaço de Desenvolvimento Infantil

Rua Jardim Botânico 674/407Rio de Janeiro

Telefone 021 3164-2141
E-mail Ateliecdi@gmail.com
Website http://www.ateliecdi.com.br
4

Comentários

  1. […] tem uma fã no Ateliê (atualmente está fazendo as atividades integradas lá toda segunda, quarta e sexta). Eu sei que ele […]