quadroMaeFilho

Comentário que mereceu post

 

Dia 15/02/2013, Anônimo escreveu no post http://www.mulherquecorrecomlobos.com.br/cronicas/mae-solteira/ :

Oi fernanda! Adoro seu blog! Sou Jéssica e tenho 18 anos! Tbm sou mãe solteira!
Meu filho Enzo tem 1 ano e 4 meses,não tem o nome do pai(pois esse não quis nem
saber o que eu iria fazer quanto a isso!) Com 2 meses de gestação, tive o
diagnóstico de aborto, devido a um tombo que levei! Mas, msmo tomando remédios e
chás, minha menstruação não vinha. Passaram 2 meses, voltei ao hospital com
muitas dores: Estava grávida ainda! 4meses de gestação, depois da preocupação
com a saúde do meu filho e 8 dias em trabalho de parto,precisei de uma
cesariana,pois tive hemorragia. Ele nasceu de 25 semanas e 22 dias com 1,240Kg.
Hj, ele é forte,perfeito e minha razão de viver! Tenho um namorado que cuida
dele como se fosse o pai biológico! O chama de filho e faz, tudo o que o pai
decidiu não fazer e que se arrependerá! Pois,vc tbm sabe que não há coisa mais
maravilhosa que acordar de manhã com aquela risada gostosa!!!
Obrigada por ajudar tdas as mulheres que passam por isso e, as vezes precisam dessa
força!
E, aqui em baixo, tah o link da foto do Enzo.

http://sphotos-b.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/2032_10151381486766083_1865866247_n.jpg

Minha Resposta:

Jessica, tomara que você veja minha resposta. Tô com outro endereço de blog www.mulherquecorrecomlobos.com.br, quando puder vá pra lá, postei seu comentário no novo.
Postei seu comentário também no meu facebook. Postei ontem à noite e até hoje de manhã cerca de 80 pessoas curtiram, certamente se emocionaram como eu. Já li o que você escreveu umas 20 vezes. Mexeu muito comigo e num plano abstrato me vi abraçando o Enzo. Que coisa amada… Se eu penso que estou passando perrengue com 28 anos, imagino com a sua idade. Muito bom ver que a força feminina independe disso. Você recebeu um presente, quase o perdeu e de repente estava lá ele de novo. Mesmo nova e sozinha, reconheceu que aquilo era um presente divino que chega meio às avessas. Meu coração fez uma festa incrível ao saber que ao colocar a minha cara à tapa, estimulei outras mulheres a falarem disso. Nesse momento me vi te dando um abraço muito apertado. Quem tem que agradecer sou eu! Obrigada do fundo da minha alma, do meu coração, do meu útero! Que você seja cada vez mais feliz e que Enzo cresça com esse amor incondicional da mãe dele e dos que o cercam. Mãe é mãe. Pai é quem cria. muitos beijos meus e do Bento, ele com certeza tb está grato com a sua manifestação.

14

Comentários

  1. Paola disse:

    A história desta jovem-mãe-mais-madura-que-muita-mãe-de-menopausa é linda!!! E vem para mostrar que nada (ou quase nada) sai como planejamos. É como diz aquele ditado em em inglês: “You plan, God laughs at you”. Algo assim. Tenho uma amiga cujo casamento acabou pois ela não queria filhos. É destas nerds que só querem estudar e foi disputada por Harvard e Stanford para fazer o doutorado. É mole? Não me surpreenderia se um dia ela fosse presidente. Enfim, o primeiro casamento acabou por ela não querer filhos. Casou com outro cara que aparentemente não podia ter filhos e cuja ex-mulher sempre perdia as gestações na 11ª semana por alguma má formação congênita. Eis que logo no início do namoro minha amiga engravida e estava na África do Sul por causa do doutorado e foi a um médico para um aborto pois ela já “iria perder” mesmo, segundo o relato do namorado, na 11ª semana. Resumo: ela não fez o aborto, não perdeu e hoje o filho deles é um menino lindo, inteligente, que fala tudo desde 1 ano e é super articulado e tem 4 anos. Agora me diz: é ou não é o destino? Não sou uma pessoa de religião e minha fé anda meio abalada há muito tempo, mas não é a vontade dEle que conta? Você e a Jéssica são exemplos a serem seguidos e mais: são mães que tem total poder de decisão e não precisam se preocupar se o outro vai gostar. Pode crer, as vezes é um pé no saco que eu nem tenho.

    1. Fernanda Nunes disse:

      Ótima história, Paola! Com certeza, em muitas horas os homens mais atrapalham que ajudam rs Todas nós somos mães boas o suficiente! Independente da história, há muito o que se doar! bjs

  2. Ana C. disse:

    A gente chora, questiona, tem medo, e acaba esquecendo q o importante msm eh ter saude! Me fortaleco com todas essas historias, imagina vc Fernanda que criou isso tudo. Gosto da maneira cm vc trata o assunto, na vida a gente tem q se impor, mas mais gostoso eh se for de uma maneirra leve, pra que o peso dessa bandeira n seja tao grande, eh natural ser mae, eh maravilhoso ser mae, e eh por isso q a humanidade n acabou e nem vai… pq td mulher quer isso, ou se quer abraça, aceita, agarra. Boa noie e obrigadda, mais uma vez!