Estatuto do Nascituro: uma palhaçada com a nossa cara

Aqui estão alguns artigos do Estatuto do Nascituro que foi aprovado hoje pela Comissão de finanças. Ainda falta ser aprovado pela Comissão de Justiça e Plenário. Essa é a nossa esperança e temor, pois ainda podemos fazer algo a respeito. É tão bizarro, mas tão bizarro, que quem lê não acredita que pessoas letradas e que têm como exercício reger as leis do nosso país podem aprovar uma sandice dessas. Porém, tratando-se de Brasil, podemos esperar tudo.

Vamos às idiotices:

 

Art.1º Esta lei dispõe sobre a proteção integral ao nascituro.

Ok. Qual lei protege integralmente a mãe?

Art. 2º Nascituro é o ser humano concebido, mas ainda não nascido.

Jura? Portanto, um embrião. Sem cara, voz ou cor preferida.

Parágrafo único. O conceito de nascituro inclui os seres humanos concebidos “in vitro”, os produzidos através de clonagem ou por outro meio científica e eticamente aceito.

Portanto, incluímos os clones do professor Albieri. Esses clones in vitro têm proteção integral e se doutor Albieri quiser se livrar deles não vai rolar.

Art. 4º É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar ao nascituro, com absoluta prioridade, a expectativa do direito à vida, à saúde, à alimentação, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar, além de colocá-lo a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

Essa é brilhante! Estamos falando de um embrião que está dentro da barriga de uma mulher.

Direito à vida: é proibido abortar.

Direito à saúde: o estatuto diz que mesmo que o embrião tenha potencial para apresentar problemas após o nascimento, não pode ser abortado. E onde fica a saúde nesse caso? Alguém por aí sabe o que é ter um filho com problemas pelo resto da vida? Alguém por aí sabe o que é ter medo de morrer por não saber quem vai cuidar do seu filho doente?

Direito à alimentação: Ok, a mãe vai pressionar as artérias umbilicais para que o bebê não tenha direito ao seu fluxo sanguíneo e ele ficará desnutrido dentro do útero. Caralho! Vai estudar biologia, porra! Depois pensa em redigir uma merda de lei dessas.

Direito à dignidade: elabore, por favor?

Direito ao respeito: Embrião feio, muito feio!

Direito à liberdade: Poxa, justo, o embrião tem a liberdade de escolha. “Quer viver, embrião? Quer morrer, embrião? Quer tomar um chope, embrião?” Deixemos o embrião livre, minha gente! Agora, você, mãe, por favor fique presa a essas leis sem sentido.

Direito à convivência familiar: Essa gente fala de Deus a dar com o pau, mas pelo visto, esse Deus não ilumina o cérebro deles. Isso é ridículo! Vocês entendem que esse estatuto defende um embrião? Não nasceu, não nasceu! Que convivência familiar você dá ao embrião, me diz? Porra é de se rasgar um troço desses!

Coloca-lo a salvo de negligência: então coloquem detetives atrás de cada mãe pra saber que ela papou tudo, não usa remédios que possam lesar o bebê, nem qualquer tipo de drogas. Vejam também se elas andam se arriscando por aí. Minha nossa..

Discriminação: Mais uma vez embirão feio, muito feio. Quem sofre discriminação é a mulher, porra! Onde já se viu embrião ser discriminado? Conversa de maluco! Pelo amor da Nossa Senhora Santíssima que a essa hora está a pixar as paredes do céu de roxo, interna essa gente! Esse pessoal escreveu esse artigo tomando ácidos e tiveram um surto psicótico. Interna!

Violência, crueldade e opressão: Eu juro que queria ver alguém conseguir me explicar como seria oprimir um embrião, juro. Violência, sabe o que que é violência? Violência é o que essa lei pretende fazer com as mulheres.

 

Art. 9º É vedado ao Estado e aos particulares discriminar o nascituro, privando-o da expectativa de algum direito, em razão do sexo, da idade, da etnia, da origem, da deficiência física ou mental ou da probalidade de sobrevida.

Alguém aborta porque é menino, menina, etnia (a própria origem, diga-se de passagem)? Agora, tirar o direito de uma mulher de abortar porque seu filho terá problemas é uma baita sacanagem. Fazer uma mãe ficar 9 meses grávida de um bebê que vai morrer é a maior violência de todas! Você sendo parada nas ruas com as pessoas falando da sua gravidez e você fodida, na merda, porque o João que está crescendo dentro de você e exigindo toda sua energia, vai morrer! Você vai enterrar João, entende? Só que antes disso será torturada com essa porra por 9 meses! Numa boa, ficar grávida é um cú! Eu achei um cú! Só valeu a pena porque meu filho é o máximo. Isso é uma palhaçada. Em nome de quem essa tortura? Em nome de quem, porra?

Art. 10º O nascituro deficiente terá à sua disposição todos os meios terapêuticos e profiláticos existentes para prevenir, reparar ou minimizar sua deficiências, haja ou não expectativa de sobrevida extra-uterina.

Vai ter à disposição mesmo? Aonde, no Brasil? E quem é que vai cuidar do filho com necessidades especiais quando ele tiver 15 anos e ainda não conseguir limpar a bunda, são os senhores? Que lugar terapêutico e profilático maravilhoso é esse que o estado disponibiliza? O hospital Sarah? Que tem fila para as pessoas se tratarem por 3 meses e ainda é preciso de QI pra entrar? Vai tomar no cú! Saúde no Brasil é uma putaria! Nem vou comentar sobre o embrião sem expectativa de vida. Vai morrer, caralho!

Art. 13 O nascituro concebido em um ato de violência sexual não sofrerá qualquer discriminação ou restrição de direitos, assegurando-lhe, ainda, os seguintes:

I – direito prioritário à assistência pré-natal, com acompanhamento psicológico da gestante;

Então, vocês acham que uma terapia vai resolver o trauma da violência sexual e o trauma contínuo de uma gravidez de um estrupador desgraçado? Mundo de Polyana?

II – direito a pensão alimentícia equivalente a 1 (um) salário mínimo, até que complete dezoito anos;

Então a gente ganha um cala boca de uma pensão alimentícia até os 18 anos (como se aos 18 seu filho fosse se tornar independente financeiramente) e tá tudo certo? Pão e circo essa porra? A gente se fode a vida inteira sendo mãe de uma criança que tem o gen da maldade, mas recebe uma merreca pra encarar essa melhor. Se essa merda for aprovada, eu monto uma clínica de aborto clandestina, vou ficar rica, pois apoio 1000% o aborto nesse caso. Virou Índia essa merda? Por favor, completem o estrago e façam uma lei que obrigue a gente a casar com o estuprador. Acabe com a nossa vida em grande estilo.

III – direito prioritário à adoção, caso a mãe não queira assumir a criança após o nascimento.

Claro, adoção é o processo mais simples do Brasil e têm poucas crianças em orfanatos. Inclusive orfanatos são ótimos e toda criança que já os frequentou tem vontade de voltar. Páaaaara, porra! Não aguento mais tanta burrice!

Parágrafo único. Se for identificado o genitor, será ele o responsável pela pensão alimentícia a que se refere o inciso II deste artigo; se não for identificado, ou se for insolvente, a obrigação recairá sobre o Estado.

Como disse uma outra autora, o monstro deve estar presooooo! Ou continuaremos fazendo vista grossa? O estuprador não é punido, mas a desgraçada da mulher vai ser punida pro resto da vida???

 

Pra fechar, quero que todos esses imbecis, burros e perversos que fizeram essa lei morram! Morram de um jeito muito cruel! É isso que desejo. Se houver um Deus e um Diabo, como insistem em fazer a gente engolir para justificar seus atos de crueldade, eu quero que o Diabo tome conta deles! Eu desejo todo o mal do mundo a vocês! Se forem homens, ainda desejo que 30 negões comam o cú de vocês! A seco.

 

Mulheres, a gente não pode deixar isso barato.

4