IMG_1707.JPG

Wonderful Two

Estávamos chegando em casa e, sei lá por qual contrariedade, Bento se jogou no chão (cena clássica das crianças da sua idade).

Um educador perguntou-me o que era mais incômodo, o choro ou a birra. O choro, sem dúvida.

Choro de bebê poderia ser facilmente uma arma de tortura para as pessoas falarem a verdade. Falarem a verdade e terminarem a confissão em posição fetal gritando “Desliga essa porraaaa!”

Já soquei travesseiro, já joguei telefone no chão, já “taquei” laptop na parede. Eu sei, não sou uma pessoa digna.

Pra mim a birra é diferente. Acho graça. Ao ponto de ter que esconder que estou gargalhando. Não me ofendo. Deixo ele ter o seu momento – salvo as horas em que coloca sua vida em risco e as que re-al-men-te tenho que ir.

Pela câmera vi que desciam duas moças e ele se atirava diante da porta do elevador. Ia tomar uma porrada assim que as moças abrissem a porta. Tive que interceder. Agachei e o comuniquei – sob protesto – que iam abrir a porta do elevador e teria que tirá-lo dali.

A porta se abriu e as moças viram a situação. Eu, sacolas, Bento, tudo no chão.

- Bento, vão abrir a porta do elevador, vai machucar você.

A porta se abriu e…

- Sou fã do seu blog!

Pensei: Deus, como ela nos reconheceu agachados lutando jiu-jitsu praticamente?

- Acabei de ter bebê, está lá em cima.

Sem graça, juro, fico sem graça quando me reconhecem e parabenizam o blog.

- Que legal! Se prepare para os 2 anos- Bento estava ainda estirado no chão e eu não sabia o que dizer. Ela riu.

Em seguida, as duas falaram ao mesmo tempo:

- Parabéns!

Ela me parabenizava pelo blog e eu, pelo filho.

Fiquei pensando em nosso curto diálogo e gostaria de retificar. Não me encanta ser terrorista de mães. “Quando ele tiver 2, quando ele tiver 7, quando ele tiver 16, você vai ver, hein!” Não, esse não é o meu papel.

Vamos começar do início.

“Se prepare para os dois anos!

São bem melhores e, apesar dessas intercorrências que chamam de birras, de terrible two, de adolescência dos bebês, é muito mais tranquilo do que um bebê insone cheio de cólicas de 3 meses.

Se eu pudesse fazer um pedido, esse seria: na próxima vez, me tragam uma criança de 2 anos, ok? Falando mamãe e querendo ouvir historinha. Amassando os cachorros e pedindo “biguti” (iogurte). Dormindo 8 horas por noite e me dando beijos estalados na bochecha. Escolhendo o sapato e correndo atrás de uma bola.

Esqueça o que eu disse, cara leitora.

Eu estava tentando ser cômica. Desculpe ter feito o terrorismo social de apavorar mães para as próximas fases. No fundo, no fundo, eu estava tentando ser cômica. Só.

Aproveite o seu bebê de meses, segure a onda nas dificuldades passageiras e aguarde com a promessa de muita coisa divertida nos 2 anos.”

Terrible two? Que nada! Na próxima vez, já me tragam a criança nesse tal wonderful two.

Foto: Michelle Castilho

17