Todos os posts em Qualquer coisa

A Chegada da Pucca

Meu nome é Fernanda e sempre amei os bichos. Desde que me entendo por gente. Sempre sonhei em ter um, mas não tive na infância. Vivi esse amor através dos bichos da minha avó que morava na zona norte do Rio. Sofri a perda deles, mas não como agora. Continue lendo.

Poluição

Aqui estamos eu e você novamente.

A garganta se inflama em tosse de tudo que tá preso. Mas aprendi que é feio dizer. Continue lendo.

Alive

Saí de casa pedalando pelos buracos das ruas descrente
Pensamentos invadiam e escapoliam na mesma velocidade
Olhar distante da realidade

Continue lendo.

Nossa Dimensão

Rasga, lá dentro de mim, a voz que grita por seu nome
Enquanto, aqui fora, me mantenho muda

Continue lendo.

Pra Sempre Borboleta

Há 6 anos atrás, eu era apenas uma mocinha sem fazer ideia do que vinha pela frente.

Era apenas uma lagarta inocente

sem saber a borboleta em que me transformaria. Continue lendo.

Palavras pequenas palavras

Uma mãe que se preza observa atentamente – pra não dizer ansiosamente – o desenvolvimento do seu filho. Qualquer ponto fora da curva é um receio. Cedo demais? Tarde demais? Queremos filhos normais e sadios, no entanto cada um tem o seu ritmo, o seu compasso, é importante respeitar. Criança não é iPad que muda a orientação da tela conforme você manda. Continue lendo.

Sorteio do mês das Mães com Rosa Terra

Corra lá na fan page do Blog de uma Mulher que corre com os Lobos e participe!

Continue lendo.

Crianças: Nada se Perde, Tudo se Transforma

Eu rio. Melhor, eu rio muito. Não, não, eu gargalho. Gargalho alto. Mais que isso, gargalho alto me jogando no chão e batendo as perninhas no ar. Não, não! Eu gargalho alto me jogando no chão, batendo as perninhas no ar e mijo nas calças quando uma mãe acredita que vai conseguir trabalhar sozinha com um bebê. Continue lendo.

Morde-memórias

Bento tem uma fã no Ateliê (atualmente está fazendo as atividades integradas lá toda segunda, quarta e sexta). Eu sei que ele é a coisa mais linda – e levada – desse mundo e, que uma hora ou outra, mais gente tiraria casquinha. Vá lá, 15kg… Tem pra todo mundo.

Continue lendo.

Quem tá vivo sempre aparece

Hãm Hãm… 1, 2, 3 testando…

Alguma hora eu teria que tomar a coragem e ter a cara lavada de aparecer aqui. Nem que fosse pra dar um mísero Feliz 2014. Continue lendo.

Eu e eu mesma – sem Irene

Eu a-do-ro ficar sozinha.

Continue lendo.

Na matilha

Curso DOC em foco

Cineastas consagrados e internacionais participam de ciclo de documentários no Rio

Continue lendo.

Show de True mom

Aquele dia em que o seu vizinho cruza com você e diz:

– O bebê estava chorando bastante hoje, né? Que foi? Tá doentinho?

Continue lendo.