Programe a maternidade como eu programei a da minha cachorra, não como programei a minha. Ou não como não programei a minha.

Quando coloquei minha cadela pra cruzar no ano passado, selecionei um macho pequeno. Um que fosse um pouco menor que ela para facilitar o parto normal. Cesarianas em bichos (e em humanos) podem ser evitadas. Com bicho o treco é mais fácil, só envolve cio, não envolve emoção. Já eu, na minha vez, nem sabia que, na verdade, estava escolhendo um homem para ser o pai do meu filho. A intenção inicial era só sexo sem intenção de procriar. Foi aí que me dei mal e usei pouco a cabeça. Infelizmente, tenho predileção por homens altos, quando falo de namoro e sexo, não de parto normal. No meu caso, acho que homem baixinho só vinga como amigo meu. Que horror, né? Também acho, mas fazer o quê? Gosto de homem grande e sou baixinha. Vai ver que fui anã na última encarnação e traumatizei. Sei lá. Tenho complexo mesmo. Gosto de homens altos, esportes de gente alta, carros altos. Só não gosto de salto alto. Muito alto não rola. Não ando bem neles. Inclusive dois ex-namorados meus tentaram me ensinar a andar de salto alto baseados nas aulas que suas mães deram para suas irmãs mais velhas, ou seja, eu sou ruim mesmo. Portanto, retirando o salto que é alto, gosto de tudo alto. Agora, se você me perguntar que tipo de homem eu gostaria para ser pai do meu filho, eu pensaria no parto normal e diria “baixo e magro”. Olha bem como é a vida, a gente sabe opinar na vida dos outros e faz um monte de cagadas na nossa. Escolhi um mini macho viril para minha cadelinha e um mega macho não menos viril pra ser pai do meu filho. Neste momento, me encontro com 6 meses de gestação com uma barriga megalomaníaca que no mínimo porta um bezerro ou o Shaquille O’Neal brasileiro. Quando como um pouco a mais, não respiro e tenho taquicardia. O estômago pressiona o bebê e os pulmões, o bebê pressiona o estômago e os pulmões e os pulmões, por sua vez, pressionam o bebê e o estômago. Dá no que dá: caos e paralisação nos meus sistemas até o final da digestão. Outro ponto tenso: a mobilidade diminuída. Ando por 10 minutos e o peso da barriga começa a comprimir um nervo do meu quadril direito, o que me leva a mancar e sentir umas dores esquisitas com queimação. Resultado: tenho que elevar a pança com as mãos para descomprimir e andar parecendo que estou entrando em trabalho de parto. Não, não, faltam três meses! Três! Outra ocorrência comum decorrente dessa minha insana e inconsciente escolha é que, pessoas que me encontram ou que passam a me conhecer e se interessam pela gravidez já falam de cara: “Que linda sua barriga, redondinha, tá com o que? 8 meses?” ou “Tá chegando, hein Fê? É pra esse mês?”. Não, não… (voz de choro)Faltam três! Três! Aí você acha que parou por aqui essa avacalhação para com a minha pessoa de 1,60 m. Acabou não! Ainda tem as respostas. “Mas você não engordou nada. Está pensando quanto a mais?” Treze! Treze kilos a mais! Engordei pacarai. “Mas não parece!” Não parece pra você que não veste as minhas calças. Olha o tamanho da minha bunda! “É tá com o maior bundão, mas o resto tá igual” Ô gente legal, companheira… As próximas vêm de mulheres que já pariram: “6 meses?!” (cara de espanto, medo, terror. Ela está embasbacada) “Sua barriga está enorme pra 6 meses!” ou “Tem certeza que são 6 meses? Não tem mais não?” Não. Já perguntei na última ultra e a médica disse que está coerente com o tempo gestacional… Diz ela que tenho muito líquido amniótico. Devo ter líquido amniótico no cérebro também pra ter escolhido um doador de esperma desse porte. “Não são gêmeos?” Surtou ou quer me surtar? Gêmeos? Só se o outro for filho do Gasparzinho, pois ele não aparece nas ultras. Ainda digo mais, sua agorenta, se forem gêmeos te dou um pra criar. “Só 6 meses e desse tamanhão todo? Se prepara, pois agora é que vai começar a espichar a barriga.” Ah sim, agora você me animou muito. Espichar pra onde, Santo Cristo? Pros meus rins? Intestino grosso? Pâncreas? Cérebro? Cerebelo? Joelhos? Estou vendo que no final da gestação estarei deitada numa cama, de lado, pois de barriga pra cima parece que vou morrer asfixiada, respirando com ajuda de aparelhos e me alimentando por sonda porque meu útero e meu bebê gigante invadiram meu espaço pulmonar e gástrico. Ainda estarei tratando úlceras de pressão nos meus grandes trocânteres, pois o tempo e a quantidade de peso sobre eles passando os últimos meses deitada apenas de lado foi enorme. Em resumo, não pensar na procriação e só pensar no treinamento dá nisso. Um bebê tamanho extra G se forma dentro de uma barriga PP. Uma barriga PP cuja dona se diz disposta a fazer um parto normal. É como se Shaquille O’Neal tivesse que passar na dança da cordinha cuja corda está sendo segurada por dois anões. Não é impossível, mas é complicado… Fico postando sites e textos falando mal das cesarianas desnecessárias, de como o parto normal é mais saudável pra mãe e pro filho. Sou praticamente uma militante da maternidade natureba e selvagem. Uma pastora de uma igreja ainda não formada que cultua o parto normal. Repito diariamente segurando meu púbis e meu sacro como aprendi na aula do grupo de gestantes: “Minha pelve é perfeita para passagem do meu bebê. Minha pelve é perfeita para passagem do meu bebê. Minha pelve é perfeita para passagem do meu bebê.” Como não terei um parto normal? Como vou parir de parto normal Shaq? (Íntimo. Meu filho já. Bento Shaquille O’Neal Leal Ferreira) Dá teu jeito, Fernanda, Jesus morreu na cruz e você vai parir um gigante por não ter se programado decente e racionalmente pra maternidade. Tá bom, to me cagando com o tamanho do meu filho, mas também se eu tiver parto normal vou ficar mais pentelha do que nunca! Um saco! Mais do que já estou, é possível? Olha que é, hein. Agora você, cara leitora que ainda não embarrigou, escute o meu conselho, escolha com frieza o doador de esperma, amor você arranja depois. O cara só pode ser no máximo 5 cm maior que você, caso não queira nem cesárea nem hospitalização nos últimos meses de gestação. Façam isso. Ah! E nos próximos meses rezem e torçam por mim: “A pelve da Fernanda é perfeita para passagem do Bento Shaq. A pelve da Fernanda é perfeita para passagem do Bento Shaq. A pelve da Fernanda é perfeita para passagem do Bento Shaq.”

2

Comentários

  1. Cris Lustosa disse:

    hahahaahah, só vc! Olha, a natureza é perfeita, vai dar tudo certo! sempre dá. beijosss

  2. Você me fez dar boas risadas sozinha aqui diante de seu texto! Já vou repetir seu mantra, pode deixar… Agora deixa o Cash saber que ele é um mini macho viril… Beijocas!

  3. Mariza Ibeas disse:

    Adorei Fernandinha, já estou repetindo o mantra “a pelve da Fernanda é perfeita para a passagem do Bento Shaq.
    Estou torcendo por você. Mil beijos.