1 ano sem Vovó Ritinha

Há 1 ano eu perdia uma das pessoas mais importantes da minha vida, minha vovó Ritinha. Aquela que matava e morria pela família, sólida como uma árvore centenária, não havia situação na qual não se podia contar com ela. Movia o mundo quando queria algo e, em geral, esse algo era para uma 3ª pessoa com quem ela havia se compadecido. Não atrapalhava seu tamanho, sua idade, sua surdez. Ariana que era, missão dada era missão cumprida.
Falta enorme que ela faz… Hoje vejo que sem querer querendo segui muito do que ela desejou para sua vida, porém era uma mulher do seu tempo. Amava esportes, amava aprender. Tinha uma preocupação enorme com as menorias: “Você vai deixar comida no prato? Pense quantas pessoas estão passando fome nesse momento.” Tudo bem era um certo terror psicológico para uma criança (rs), mas ela tinha razão.
E a perseguição para apagar as luzes? Excelente herança que não envolve apenas redução na conta de luz, mas uma preocupação com o meio ambiente. Uma casa receptiva e sempre impecável, pronta para receber visitas a qualquer momento. Sempre arrumadinha, cheirosinha, maqueadinha…
Vó, muito obrigada…
Não tive a chance de dizer tudo que queria a você, mas espero que ouça meu coração com maior clareza de onde estiver. Eu só tenho a agradecer e lamentar sua ida. Brigamos tanto e nos amamos tanto… Bom saber que estive do seu lado até o último segundo.
Saudades eternas…
Sua neta Fernanda Nunes
25/06/2011

1